Atenção!

Todas as imagens usadas neste blog foram retiradas da Internet. Se alguma delas contiver Direitos Autorais ou conteúdo que possa ofender alguém, avise-me por email para que seja feita a retirada imediatamente. O endereço encontra-se em Contato. Obrigada!

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Sexo virtual - cuidado com as armadilhas!

Julia tinha 25 anos, era formada em jornalismo e saiu da cidadezinha de interior em que sempre viveu para trabalhar na Redação de um grande jornal  em São Paulo. Tinha uma carreira promissora pela frente e estava realizada profissionalmente. Mas sua vida pessoal tinha virado de cabeça para baixo. Longe da família e tendo terminado um longo relacionamento, teve dificuldade em se aproximar dos rapazes paulistanos. Como andava muito carente, sua solução foi mergulhar em sites de relacionamentos - os famosos chats.
Foi em uma sala de bate-papo que conheceu Felipe, um cara que se definia meigo e sincero. Ele dizia ter 27 anos, 1m82, olhos verdes. Começaram a trocar mensagens quase que diariamente, e depois de algumas semanas de contato, eles passaram a definir a relação como um "romance virtual"; as mensagens se tornaram mais quentes, falavam de sexo, contavam histórias, dividiam fantasias. Até que ele sugeriu que trocassem fotos.
No início trocavam apenas fotos sensuais, sempre vestidos. Ela chegou a comprar lingeries novas para surpreender Felipe, mostrando seu belo corpo cheio de curvas. Ele, sempre de boxer preta ou vermelha, exibia o belo tanquinho conquistado na academia. Mais algumas semanas se passaram até que ambos decidiram trocar fotos totalmente nus. Afinal, já se conheciam há meses! Ela enviou fotos masturbando-se e fazendo mil e uma poses ao estilo "capa da Playboy", enquanto ele fazia questão de exibir seu membro rígido e bem-dotado.
Depois de tantas trocas de intimidades, passaram a conversar também pelo telefone e resolveram se encontrar. Afinal, já sabiam tudo um do outro, dividiam fotos, trocoram juras e fantasias . Faltava um encontro para que o romance deixasse de ser virtual. Marcaram um encontro em grande shopping.
Chegado o grande dia, Júlia colocou o seu vestido mais bonito, passou o melhor perfume importado e fez uma maquiagem elegante e discreta. Chegou minutos antes no local do encontro - um Café - pois não queria atrasar um só minuto. Estava ansiosa para conhecer o cara que mexia com ela em seus sonhos. Mal sabia que estava prestes a conhecer seu maior pesadelo.
Depois de alguns minutos esperando pelo rapaz, viu um homem se aproximar de sua mesa. Era baixinho, não muito gordo, porém fora de forma, aparentava ter 45 anos.
"Você é a Júlia?", perguntou com um sorriso malicioso nos lábios. "Sim", respondeu a garota sem entender o que aquele cara queria com ela. Então, ele sentou-se em sua mesa. "Deve haver algum engano, eu estou esperando o Felipe!", ela tentou esclarecer. Mas muitas outras coisas estavam para ser esclarecidas.
"Fique calma, deixe-me explicar", disse o homem. "Eu sou o Felipe. Sei que você esperava alguém bem mais jovem, mais alto e mais bonito. Mas se eu tivesse lhe contado como sou desde o início, nunca teria a chance de conhecê-la pessoalmente". A gorota foi tomada de espanto, medo e ódio. Como? Como teria sido enganada por tantos meses? Aquele Felipe era real, formado em Direito, sonhava em conhecer o mundo todo. 
— Impossível!  Trocamos fotos, e eu me lembro muito bem de como o Felipe é. E definitivamente não é você.
— Escuta, Júlia, me deixa explicar! Na verdade meu nome é Antonio. Na época que nos conhecemos naquele chat eu havia acabado de me divorciar, estava carente e precisava de alguém pra conversar. Tentei falar com muitas mulheres revelando minha verdadeira identidade, mas era rejeitado, pois elas só queriam conversar com homens mais novos. Por isso inventei o Felipe.
— Como? E todas aquelas fotos?
— Contratei um garoto de programa para que ele tirasse aquelas fotos. Eu sabia que um garoto de programa teria um corpo perfeito para atrair uma moça linda como você...
— Canalha! Então fui enganada o tempo todo? Você fez eu me apaixonar por um garoto de programa? Vai se fuder seu carente de merda, seu filho da puta!
— Eu sei que você está brava comigo, mas vamos conversar em um lugar mais calmo, vou te mostrar que tenho valor.
— Conversar em lugar mais calmo o caralho, eu não vou com você a lugar algum, seu escroto! Vai pro inferno!
Depois de um sonoro tapa na cara, Júlia saiu  correndo do Café, pegou seu carro no estacionamento, foi embora o mais rápido possível. Tudo que ela queria era chegar em casa, tomar um banho, descansar. Na verdade, ela queria sumir. Como pode ser tão inocente? "Burra", era só o que ela conseguia pensar.
Chegando em casa, tomou um longo banho, chorando muito e lembrando de todas as conversas que tivera com o "Felipe". Ela havia idealizado o homem de seus sonhos, pensava que tinha encontrado o homem de sua vida. Afinal, quantas pessoas já não haviam se casado com alguém que conheceram na internet? Mas tantas outras também haviam sido enganadas como ela foi... E quando lembrava do rosto sínico daquele homem do Café uma raiva invadia seu peito, ela sentia vontade de gritar, de socar a parede, de arrebentá-lo de porrada. Mas tudo o que conseguia fazer era chorar ainda mais.
Ao sair do banho a primeira providência foi apagar todas as mensagens dele de seu email, deletar as fotos daquele homem lindo de seu computador, excluir o número de telefone do cafajeste da memória do celular. Ela pensou que isso colocaria fim naquela história, mas estava mais uma vez enganada.
Antonio estava obcecado por Júlia e não a deixaria em paz tão cedo. Passou a ligar constantemente para ela, que não o atendia. Mandava mensagens de texto pedindo que ela voltasse a conversar com ele pois sentia saudades das longas conversas nas madrugadas. Também não obtinha resposta. A única mensagem que ela enviou foi "Cheguei ao limite da minha paciência. Não aguento mais receber ligações suas e estou trocando de número. Adeus".
Mas a obcessão pela garota não o deixou desistir. Ele queria tê-la no controle de qualquer jeito, e para isso passou a ameaçá-la. Mandava emails dizendo que ela seria dele e de mais ninguém, ou então sofreria as consequências. Júlia não levou a sério e bloqueu o email de Antonio. Uma semana depois seu ex-namorado mandou uma mensagem dizendo que havia recebido fotos nuas dela. Foi aí que se deu conta: ela havia contado tudo sobre sua vida quando ainda acreditava existir o "Felipe". Antonio sabia em que cidade ela morava antes de se mudar para São Paulo, sabia quem eram seus pais e amigos, ex-namorado, trabalho na Redação do jornal...
Quando tentou voltar atrás já era tarde demais: Antonio já havia publicado suas fotos nuas na Rede, inclusive enviando para amigos e para o trabalho da garota. Seu pai sofreu um infarto ao descobrir na caixa de entrada do email as fotos da filha em poses sensuais "como uma  puta", como ela ficou conhecida na cidadezinha - afinal, em cidades pequenas, esse tipo de coisa toma proporções muito maiores - e agora já não tem coragem de aparecer por lá. E ainda perdeu o grande emprego que tinha na Redação, junto com a promessa de uma carreira promissora.
Tentou processar Antonio, mas nada sabia da vida dele - lembrava vagamente de seu rosto, e nada mais. Hoje, tenta recomeçar a vida no Nordeste do Brasil, onde - ela espera - não é reconhecida por ninguém.



Quem não se lembra do caso da atriz teen Vanessa Hudgens, que tirou fotos sensuais para o namorado Zac Afron e depois teve sua intimidade divulgada por toda a Internet?! Se isso acontece entre namorados famosos, que o diga se não pode acontecer com algum desconhecido e até com você. São vários casos similares.
Parece conselho que damos para crianças "não fale com estranhos", e é até ridículo pensar em não falar com estranhos quando se trata de um bate-papo em que não conhecemos ninguém. Mas a questão aqui é tomar cuidado com o que você expõe nestes espaços.
Várias vezes já entrei em salas de bate-papo voltadas para lésbicas e me deparei com homens que se passavam por mulheres - "Vivi gostosa com cam" - para atraí-las até as conversas com vídeos. É provável que todos que já tenham praticado sexo virtual já saibam, mas não custa nada repetir:
Não mande fotos suas para estranhos.
Não conte detalhes de sua vida pessoal.
Caso você tope uma conversa com vídeo, deixe a cam mirada somente em seu corpo - não mostre seu rosto, pois você não sabe se a pessoa está gravando.
No mais, aproveite esses momentos desfrutando do prazer sem se deixar levar pela inocência :))



Bem, hoje me detive apenas sobre alguns cuidados quanto ao sexo virtual. Mais para frente voltarei a falar do assunto mais profundamente! Espero que tenham gostado!

Beijos gostosos da Lisa ;*

4 comentários:

  1. adorei o texto.. eu dava uma dicas para contatos meus nunk pensei em postar algo mais interessante... gostei
    sempre falo que se for mostra nao mostre o rosto e nao use seu nome verdadeiro, da pra se diverti muito via msn, via internet o sexo virtual é gostoso mais como tudo na vida tem seus probleminha q tem como ser evitados

    ResponderExcluir
  2. Nada mais verdadeiro... há que ter cuidado. Saber o que é a fantasia e a realidade...

    ResponderExcluir
  3. linda...citei vc lá no meu blog.. se gostar,..
    beijos
    Myah

    ResponderExcluir
  4. Bom, eu já fui enganada muitas vezes no MSN, principalmente quando procurava por sexo com outras mulheres. Mas nunca passei por problemas muito sérios com relação à exposição. Ainda bem...
    Como não dá para saber quem está diante do computador, muitas pessoas acham que podem fazer o que quiserem, sem ter que arcar com as consequências. Quando se trata de sexo, penso que as pessoas procuram na internet aquilo que dificilmente fariam na vida real. Enquanto essas intimidades não tiverem uma identidade determinada, acho mais que as pessoas devam aproveitar.
    Ficou muito legal o seu texto. Acho que ilustrou bem um drama pelo qual várias pessoas, infelizmente, passaram.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir